RADIO WEB JUAZEIRO : Saúde: quando o zumbido e outros problemas menos valorizados do ouvido são um grande tormento no dia a dia de pacientes
quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Saúde: quando o zumbido e outros problemas menos valorizados do ouvido são um grande tormento no dia a dia de pacientes

Novembro Laranja é o mês de conscientização sobre a realidade preocupante do aumento de problemas relacionados à audição
Karine Lustosa


O zumbido juntamente com dois outros problemas relacionados à audição e pouco divulgados, a misofonia e a hiperacusia, formam o trio para o qual o Novembro Laranja tenta chamar a atenção, tanto da população quanto para os profissionais de saúde.

A Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido foi criada em 2006 pela Dra Tanit Ganz Sanchez para realizar ações voluntárias de divulgação do assunto durante todo o mês de novembro, período que inclui o Dia Nacional de Conscientização do Zumbido (11/11). A partir de 2012, a campanha passou a ser chamada de Novembro Laranja e cinco anos depois foram incorporados ao movimento, a Misofonia e a Hiperacusia, dois tipos de incômodos com sons (hipersensibilidade auditiva).

O Zumbido é um som, que pode ser contínuo ou não, dentro dos ouvidos, especialmente no silêncio; a Misofonia é o incômodo com sons baixos e repetitivos (como alguém mastigando perto de você); a Hiperacusia, é a sensibilidade a sons que parecem mais fortes do que realmente são. Os sintomas podem aparecer de forma isolada ou em grupo.

O grande desafio é popularizar esses sintomas e estimular mais pesquisas. A verdade é que são problemas que afetam milhões de pessoas que sofrem com a falta de conhecimento e de atendimento específico.

A médica otorrinolaringologista e professora do Curso de Medicina do Instituto de Educação Médica (IDOMED) em Juazeiro-BA, Karine Lustosa, explica que é necessário investigar as causas desses problemas. “Na maioria das vezes as causas do zumbido, por exemplo, estão relacionadas a hábitos da vida atual, como o uso de fones de ouvido, excesso do uso do celular e sons muito altos”, enumera.

Mas não para por aí. Especialistas afirmam que até hábitos alimentarem, como jejum prolongado e excesso de doces e café, podem desencadear o zumbido. A médica esclarece que o zumbido pode ter as mesmas causas que levam à perda de audição, com o tempo. No entanto, faz um alerta que o tratamento existe. “O zumbido tem cura. Precisamos que a população saiba que esses sintomas não são normais. É preciso mudar pensamentos restritivos de que ´não há nada a fazer´e buscar atendimento com o especialista.”

O tratamento precoce ajuda na recuperação do ouvido e, especialmente, na qualidade de vida do paciente. Além do diagnóstico feito através da anamnese e de exames específicos de audição, mudanças de hábitos são necessárias. Em casos hipersensibilidade auditiva, onde pacientes relatam irritabilidade, acompanhamento psicológico pode ser indicado.

Para debater e pontuar sobre os procedimentos e protocolos mais utilizados na avaliação e tratamento dos sintomas, será realizado no dia 30 de novembro o I Simpósio Sobre Zumbido do Vale do São Francisco, com a participação de especialistas nacionais e internacionais, como a médica portuguesa, Dra. Sandra Castro, que tem vasto conhecimento no tratamento do zumbido. O evento é gratuito, online e tem o apoio do IDOMED. As inscrições podem ser feitas por meio do link https://www.even3.com.br/zumbidovsf/ .


Contato:

Isabella Ornellas Assessora de Comunicação do IDOMED / Estácio – Juazeiro-BA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE