RADIO WEB JUAZEIRO : Economia apresenta deflação de 0,58% em novembro
quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

Economia apresenta deflação de 0,58% em novembro

Mercado financeiro reage bem e dólar opera em baixa

A informação foi confirmada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) - Foto: Marcello Casal jr 

Agência Brasil

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) apresentou uma deflação (quando os preços passam a cair) de 0,58% em novembro, taxa menor que a do mês anterior, quando subiu 1,60%. A informação foi confirmada pela Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta terça-feira, 7.

Com o resultado, o índice passou a acumular alta de 16,28% no ano e de 17,16% em 12 meses. Em novembro de 2020, o número havia subido 2,64% e acumulava elevação de 24,28% em 12 meses. As informações são do portal Metropóles.

A deflação pode reforçar a possibilidade de aumento de, no máximo, 150 pontos-base da Selic (taxa que regula os juros no país). O número pode crescer ainda em 1,50 ponto, após a reunião do Copom nesta quarta-feira, 8.

Com a deflação do IGP-DI de novembro, o dólar começou a operar em baixa no mercado doméstico. Outros motivos, conforme o Metrópoles, são a alta forte do petróleo e a produção industrial na Alemanha e na China. O dólar renovou mínima a R$ 5,6245 (-1,16%).

Com peso de 60% na composição da taxa, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu 1,16% em novembro. Em outubro, havia apresentado alta de 1,90%. Os responsáveis são os alimentos processados e o minério de ferro. A taxa dos grupamentos passou, respectivamente, de 0,81% para -0,56% e de 4,29% para -24,98%.

Os grupos Alimentação (0,88% para 0,66%), Comunicação (0,44% para 0,09%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,25% para 0,16%), Vestuário (0,81% para 0,59%), Educação, Leitura e Recreação (1,57% para 1,51%) e Despesas Diversas (0,28% para 0,20%) também tiveram decréscimo em suas taxas de variação.

No entanto, duas das oito classes registraram acréscimo em suas taxas de variação: Transportes (1,31% para 3,07%) e Habitação (0,37% para 0,56%), especialmente gasolina (2,73% para 7,44%) e condomínio residencial (0,39% para 1,43%).

O estágio das Matérias-Primas Brutas caiu 6,40% em novembro, devido aos números da soja em grão (-0,38% para -3,73%) e leite in natura (0,66% para -7,73%). Em sentido oposto, encontram-se bovinos (-7,71% para 2,60%) e pedras britadas (0,46%).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE