RADIO WEB JUAZEIRO : Vendas de motos aumentam quase 40% na Bahia
quarta-feira, 11 de maio de 2022

Vendas de motos aumentam quase 40% na Bahia

Um dos fatores para a procura é a disparada dos preços dos combustíveis

Tribuna da Bahia, Salvador
Foto: Romildo de Jesus

Por Davi Valadares

A disparada dos preços dos combustíveis, com o litro da gasolina custando mais de R$ 7, fez muitos proprietários de veículos repensarem os gastos com os modelos de quatro rodas. Na tentativa de não comprometer o orçamento com esses custos elevados, uma das soluções encontradas pelos condutores foi utilizar a moto. Segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Bicicletas e Motocicletas e Similares (Abraciclo), no 1º trimestre deste ano foram quase 40 mil emplacamentos de motos na Bahia, aumento de 39,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

“Mesmo a produção sendo duramente afetada pela pandemia, no primeiro trimestre deste ano a indústria de motocicletas conseguiu bons números na Bahia. A Abraciclo mantém a expectativa de fabricar 1.290 milhão motocicletas em 2022. O mercado segue aquecido e com perspectiva de crescimento. No entanto, há variáveis que requerem atenção, como por exemplo, a inflação que afeta o poder de compra do consumidor, o abastecimento das cadeias produtivas e o alto custo dos fretes”, disse o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

Segundo informou o porta-voz dos fabricantes de motocicletas, até março, foram licenciadas 327 motocicletas no País, volume 38% superior às unidades emplacadas no mesmo período do ano passado. "A tendência é que a demanda por motocicletas continue em alta. Os consumidores reconhecem na motocicleta um veículo ágil, econômico, com preço acessível e com baixo custo de manutenção”. Entre os modelos apontados por ele como mais econômicos estão as categorias Motonetas e Scooters.

Filas

Com a alta demanda por motocicletas e o ritmo de produção ainda se recuperando dos efeitos da pandemia, as filas nas lojas também cresceram. Segundo Marcos Fermanian, há lojas aguardando 30 dias para receber a moto depois de feito o pedido.

“A indústria de duas rodas está acelerando o ritmo de produção, mas o forte impacto no processo produtivo devido à pandemia nos últimos dois anos ainda é sentido, por isso ainda existem filas de espera de aproximadamente 30 dias para as motocicletas de baixa cilindradas”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE